Quinta, 21 de Outubro de 2021 14:31
(13) 99184-3207
SAÚDE São Paulo

FAPESP – Estudo pode impulsionar desenvolvimento de vacinas e tratamentos para malária

Pesquisa identificou variações genéticas que aumentam a resistência do parasita aos medicamentos antimaláricos

24/08/2021 15h55
Por: Gabriel Resende Fonte: Secom Estado de São Paulo
Foto: Reprodução/Secom Estado de São Paulo
Foto: Reprodução/Secom Estado de São Paulo

Agência FAPESP* – Uma pesquisa conduzida na London School of Hygiene & Tropical Medicine (Inglaterra), em parceria com pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP), pode auxiliar na busca de vacinas e novos tratamentos para a malária vivax, responsável por 80% dos casos da doença no Brasil.

A partir do sequenciamento genético de mais de 500 amostras do protozoárioPlasmodium vivaxde 25 regiões endêmicas, principalmente de países do sul da Ásia e da África Oriental, os cientistas identificaram variações genéticas e uma série de mutações que aumentam a infectividade e a resistência do parasita aos medicamentos antimaláricos. Os resultados forampublicadosna revista Nature Communications.

O estudo indica que os isolados sequenciados do sul da Ásia se comportam como uma subpopulação de parasita distinta de outras partes do mundo, apenas compartilhando algumas características com genomas de parasitas da África Oriental e do Sudeste Asiático. Além disso, também foram observados sinais de seleção positiva associados à resistência a drogas.

“A estrutura populacional dessa espécie está diretamente relacionada ao desenvolvimento de imunidade ao parasita e a maneira como ele se propaga em uma determinada região. O constante surgimento de novas mutações é responsável pelo aumento da resistência aos atuais antimaláricos, agravando ainda mais a situação de controle da doença”, explica o professorCláudio Marinho, um dos coordenadores do estudo e chefe do Laboratório de Imunoparasitologia Experimental do ICB-USP.

A pesquisadoraJamille Dombrowski, pós-doutoranda ebolsista da FAPESP, participou diretamente dos ensaios em Londres.

Em entrevista à Assessoria de Comunicação do ICB-USP, ela destaca a importância de se combater a malária vivax, da mesma forma que a falciparum, tipo mais grave da doença: “Nos últimos anos, temos visto uma queda no número de casos de infecção porP. falciparum, por conta da maior atenção ao combate desse parasita, mas um aumento dos casos deP. vivax. Em diversos países, principalmente onde oP. vivaxé resistente à cloroquina, regimes de tratamento utilizando artemisinina já são comumente utilizados. Isso é muito preocupante, visto que é o fármaco mais potente contra a doença”.

Malária na gestação

O laboratório de Marinho estuda os efeitos da malária vivax em gestantes no Acre, onde a doença é endêmica, e colaborou para a pesquisa do London School of Hygiene & Tropical Medicine com amostras de sangue de grávidas infectadas.

“É importante que se tenha amostras de diferentes regiões para comparação. Essa análise global fornece um avanço na nossa compreensão sobre a ancestralidade e a composição genômica deP. vivaxao redor do mundo. Além disso, permite monitorar o efeito exercido pelos programas de erradicação da doença sobre as populações de parasitas”, explica Dombrowski.

O trabalho está em fase de conclusão e temfinanciamento da FAPESP. Dombrowski afirma estar otimista com os resultados. “O estudo da malária é bastante complexo e as gestantes precisam de uma atenção especial. O melhor entendimento sobre a genética doP. vivaxnessa população é mais uma ferramenta para que possamos combater a doença e, assim, criarmos melhores estratégias para reduzir o impacto tanto na mãe como no bebê.”

O artigoDistinctive genetic structure and selection patterns in Plasmodium vivax from South Asia and East Africapode ser lido emwww.nature.com/articles/s41467-021-23422-3.

* Com informações da Assessoria de Comunicação do ICB-USP.

Este texto foi originalmente publicado porAgência FAPESPde acordo com alicença Creative Commons CC-BY-NC-ND. Leia ooriginal aqui.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Praia Grande - SP
Atualizado às 14h19 - Fonte: Climatempo
21°
Céu encoberto

Mín. 16° Máx. 21°

21° Sensação
18.6 km/h Vento
78.8% Umidade do ar
0% (0mm) Chance de chuva
Amanhã (22/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 16° Máx. 24°

Sol com algumas nuvens
Sábado (23/10)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 18° Máx. 29°

Sol com algumas nuvens